15.2.12

Anjos

Embora a popularização do assunto venha trazendo ao público várias representações dos anjos, a verdade é que eles não têm forma, pois constituem uma vibração, uma quantidade de fluído cósmico. A entretanto, podem apresentar-se ao observador por meio de uma imagem os identifiquem a partir de informações da sua própria mente. Outras vezes aparecem como grandes formas ovais concêntricas de luz ou clarões sem forma. Os anjos do lar, por exemplo, atingem aproximadamente dois metros de altura e costumam postar-se num dos ângulos da casa, que se torna o melhor lugar para uma pessoa ler ou descansar, para uma planta vicejar ou um cachorro dormir. Para comunicar sua presença, os anjos podem produzir luzes coloridas, aromas sutis ou ainda emitir uma música de rara beleza, originada nas esferas superiores ou no suave ruflar de suas asas.

Dentro da hierarquia angélica definem-se nove coros celestiais, na seguinte ordem:

Serafins: são descritos com seis asas e envolto por chamas de fogo, têm poderes de purificação e iluminação, difundem o princípio da vida universal e manifestam a glória de Deus. Uriel é seu líder.

Querubins: trazem penas de pavão cheias de olhos, simbolizando a onisciência divina. Zelam pela ordenação do caos universal, pela sabedoria, e nos ofertam o conhecimento e as idéias. Jophiel é seu líder.

Tronos: identificados por uma roda de fogo, cuidam do trono de Deus e apresentam o sentido de união ao homem. São liderados por Japhkiel.

Domínios: almejam a verdadeira soberania e têm no cetro e na espada seus símbolos do poder divino sobre a criação. Afloram no homem a força para subjugar o inimigo interior. Zadkiel é seu líder.

Virtudes: expressam a vontade de Deus e zelam pelo reino mineral, oferecendo discernimento ao homem. São liderados por Haniel.

Potestades: são representados com espadas flamejantes. Responsabilizam-se pela ordem e protegem a humanidade dos inimigos exteriores. Zelam pelos elementos água, terra, fogo e ar. Raphael é seu líder.

Principados: portam cetros e cruzes e vigiam as lideranças, pois atribuem ao homem a submissão. Têm responsabilidade sobre o reino vegetal. Chamael é seu líder.

Arcanjos: também conhecidos como espíritos planetários lideram os anjos e são responsáveis pelo reino animal. São liderados por Miguel.

Anjos: são seres de luz que zelam pela gênese do homem e seu desenvolvimento espiritual, sem ocuparem postos ou desempenharem atribuições especiais nas fileiras do exército celestial.

Há pesquisadores da angelologia que estabelecem diversas outras categorias, conforme suas experiências de contato intuitivo com os anjos em suas missões junto ao homem. De acordo com eles há anjos embelezadores da vida, anjos psicológicos, anjos do momento e anjos pessoais, para citar alguns dos mais comentados.

A música e a beleza são as dádivas desses seres, os canais de expressão de toda qualidade e movimento divinos, pois o belo é de natureza sagrada e nele reconhecemos a presença de Deus. Assim, existem anjos da música, da arte, da cor e da forma presidindo o trabalho de artistas, inspirando pessoas sensíveis à sua influência.

Os anjos não desejam ser adorados nem exigem rituais sofisticados em troca do que têm a nos ofertar. Se você quiser invocá-los, parta do princípio de que o amor é a condição básica para tê-los por perto, para permanecer em comunhão com a alegria, a luz e o poder que deles emanam. Se desejar promover um sentimento de fraternidade e paz em sua casa, uma idéia é oferecer aos anjos do lar um pequeno altar, que poderá perfeitamente permanecer exposto como um arranjo decorativo, invocatório. Prepare-o com essa intenção, reunindo cristais, flores, incenso, água, uma vela ou o que mais achar importante, e componha esses elementos ao seu bel-prazer, com o pensamento voltado para o que irá pedir às forças angélicas, e assim eles se farão presentes. Lembre-se: aquele que acredita no divino é porque o traz dentro de si.
Espaço místico